22 de junho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
8/02/24 às 17h12 - Atualizado em 26/02/24 às 17h33

Combate à Dengue em Prédios Abandonados de Águas Claras

COMPARTILHAR

Rejane Mota da Silva, da Ascom – Administração Regional de Águas Claras

O Governo do Distrito Federal (GDF), está realizando nesta quinta-feira (8), uma força-tarefa no combate à dengue na cidade de Águas Claras.

Um reforço adicional está acontecendo em oito prédios particulares abandonados, com o opoio da Administração Regional de Águas Claras, do GDF Presente Polo Central II, da Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde (SES-DF), do Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF), da Polícia Militar(PMDF), do Detran-DF, da Defesa Civil e do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap-DF), com o reeducandos do projeto Mãos Dadas.

No início do período chuvoso, os cuidados são redobrados, pois um único ovo do mosquito Aedes aegypti pode sobreviver até 400 dias sem contato com a água, aguardando apenas o primeiro momento de chuva para eclodir. “As inspeções dos agentes nos prédios abandonados ocorrem pelo menos a cada dois meses, mas as ações preventivas e de combate são realizadas diariamente. Realizamos o monitoramento, controle químico, aplicação de larvicidas e as armadilhas ovitrampas. Em uma semana o ovo da fêmea em contato com a água se transforma em um macho adulto. É tudo muito rápido, então só conseguiremos vencer o mosquito se todos colaborarem”, explicou a chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental do Guará, Herica Cristina Marques.

A operação

No total, oito edificações passaram por inspeções e demais ações por parte do Governo do Distrtiro Federal. Em seis foram encontrados focos do mosquito da dengue. Aplicações com pastilhas de veneno foram realizadas:

☑️Quadra 101, lote 6;
☑️Avenida Parque Águas Claras, lote 75;
☑️Rua 25 norte lote 12;
☑️Avenida das Castanheiras ,Quadra 102, lote 680 norte;
☑️ Avenida das Castanheiras, bloco 16;
☑️Rua 25 norte lote 12;
☑️Quadra 104; 
☑️Quadra 102, lote 10.

O administrador regional de Águas Claras, Mário Furtado, disse que as ações vão continuar. " Águas Claras não está com pico da doença, por isso é necessário ações preventivas para que não se torne. Peço aos moradores que tome cuidado nas suas residências, e que nos ajude, através da janela do seu apartameto, denunciando possíveis focos da dengue, para que possamos agir antes da doença", conclui. 

Desafio diário

Os agentes, essenciais no combate ao Aedes, têm encontrado dificuldades para entrar nas residências, pois muitos moradores não abrem as portas para os agentes ambientais. Alguns, segundo eles, por medo; outros estão fora de casa; e alguns simplesmente recusam a inspeção.

É fundamental permitir as visitas de rotina. Para facilitar o reconhecimento pela população, os servidores estão sempre uniformizados, usando coletes com a logomarca do GDF e o brasão do Distrito Federal, além do crachá funcional.

“É importante que as pessoas abram as portas para os agentes, pois temos um olhar técnico para orientar sobre os cuidados preventivos. Além disso, as pessoas podem dedicar dez minutos do seu tempo para cuidar do quintal. Precisamos de atitude e da ajuda de todos para esse combate ao mosquito. Acredito que juntos somos mais fortes”, completou a chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental do Guará.

Marques enfatizou, ainda, que são inúmeros os pedidos na ouvidoria pelo fumacê, mas o inseticida deve ser usado com parcimônia. “As pessoas precisam entender que o fumacê não é utilizado o tempo inteiro, pois, além do mosquito ficar resistente ao inseticida, ele elimina outros insetos, como borboletas e abelhas. Precisamos, de fato, eliminar o foco dos mosquitos, que, em 80% dos casos, está dentro das residências”, frisou.

Faça a sua parte e denuncie focos do mosquito através do telefone 199.

Mapa do site Dúvidas frequentes