19 de maio

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
8/08/23 às 15h19 - Atualizado em 13/11/23 às 12h49

GDF inaugura a terceira saída de Águas Claras

COMPARTILHAR

Rejane Mota, da Ascom – Administração Regional de Águas Claras

Novo acesso liga a EPTG à Rua das Carnaúbas beneficiando cerca de 150 mil motoristas que trafegam na região com investimento de R$ 14 milhões

Moradores de Águas Claras receberam com entusiasmo a inauguração do novo acesso à cidade que foi oficializado em cerimônia na manhã deste sábado (5) com a presença do governador Ibaneis Rocha. A terceira saída liga a Estrada Parque Taguatinga (EPTG) à Rua das Carnaúbas, na altura do Lote 12, nas proximidades do Parque Ecológico. Com investimento de R$ 14 milhões, a via, além de oferecer uma nova alternativa para quem acessa a região, vai garantir melhor fluidez no trânsito para os mais de 150 mil motoristas que trafegam por lá diariamente.

“A terceira saída era um sonho de todos os moradores para poder desafogar o trânsito dessa cidade que cresceu tanto”, definiu Ibaneis Rocha. O trecho é composto por duas pistas de 1,8 km, com duas faixas de rolamento cada. O trajeto ainda conta com uma ciclovia ao longo de toda a extensão e um estacionamento construído em frente ao comércio que margeia a terceira saída de Águas Claras, com 1,4 mil m² e uma capacidade para 134 veículos.

O presidente do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), Fauzi Nacfur Junior, ressaltou que a entrega vai melhorar o trânsito em Águas Claras. “A cidade acabou ficando com uma retenção dentro dela. Preferimos dar prioridade para essa via, dando mais uma saída e uma entrada para os motoristas”, disse. “Essa é uma obra completa, com sinalização, drenagem e ciclovia”, definiu.

A primeira parte da obra foi executada e financiada por meio de uma compensação habitacional pela Construtora Direcional, que investiu R$ 8 milhões. Já a etapa final ficou sob responsabilidade do Governo do Distrito Federal (GDF), por meio do DER-DF, com investimento de R$ 6 milhões.

O governador aproveitou a visita à região administrativa para anunciar os planos do GDF para a cidade no sentido da implantação de novos equipamentos públicos. “Nós temos que trabalhar muito pela região de Águas Claras. Temos que trazer UPA [unidade de pronto atendimento], unidade básica de saúde [UBS], escola e feira. Tem muita coisa para acontecer aqui ainda, para trazer todos os equipamentos públicos que a cidade merece”, revelou.

A primeira parte da obra foi executada e financiada por meio de uma compensação habitacional pela Construtora Direcional, que investiu R$ 8 milhões. Já a etapa final ficou sob responsabilidade do Governo do Distrito Federal (GDF), por meio do DER-DF, com investimento de R$ 6 milhões.

O governador aproveitou a visita à região administrativa para anunciar os planos do GDF para a cidade no sentido da implantação de novos equipamentos públicos. “Nós temos que trabalhar muito pela região de Águas Claras. Temos que trazer UPA [unidade de pronto atendimento], unidade básica de saúde [UBS], escola e feira. Tem muita coisa para acontecer aqui ainda, para trazer todos os equipamentos públicos que a cidade merece”, revelou.

A primeira parte da obra foi executada e financiada por meio de uma compensação habitacional pela Construtora Direcional, que investiu R$ 8 milhões. Já a etapa final ficou sob responsabilidade do Governo do Distrito Federal (GDF), por meio do DER-DF, com investimento de R$ 6 milhões.

O governador aproveitou a visita à região administrativa para anunciar os planos do GDF para a cidade no sentido da implantação de novos equipamentos públicos. “Nós temos que trabalhar muito pela região de Águas Claras. Temos que trazer UPA [unidade de pronto atendimento], unidade básica de saúde [UBS], escola e feira. Tem muita coisa para acontecer aqui ainda, para trazer todos os equipamentos públicos que a cidade merece”, revelou.

Mais fluidez

A obra viária amplia as opções de quem transita pela cidade, que tinha duas alternativas: o balão da Unieuro e a passagem pelo Viaduto Israel Pinheiro. Com a liberação, quem está na cidade poderá pegar a pista de saída pela Rua das Carnaúbas nas proximidades do Parque Ecológico de Águas Claras em direção à EPTG. Já quem deseja entrar deve seguir pela EPTG no sentido Plano Piloto e pegar a entrada após a Residência Oficial de Águas Claras.

A nova entrada vai facilitar a vida da voluntária social Graça Franco, 75 anos: “O acesso ficou muito bom, vai desafogar o trânsito, uma maravilha para todos. A mobilidade das pessoas será facilitada”.

O comerciante Everaldo Martins dos Santos, 49, que aluga bicicletas para usuários do Parque Ecológico de Águas Claras, também elogiou a qualidade das novas ciclovias. “Eu trabalho aqui na região e essa obra nos beneficia demais. Esse novo acesso vai economizar bastante tempo no deslocamento e beneficiar o lazer de quem pratica esporte por aqui. A ansiedade da gente estava grande. Valeu a pena esperar”, ressaltou.

Para o administrador regional de Águas Claras, Mário Furtado, a construção viária vai resolver o problema de mobilidade da cidade. “Hoje essa terceira saída é uma grande conquista para Águas Claras. Aqui é uma cidade ‘de interior’ verticalizada”, analisou.

Para o administrador regional de Águas Claras, Mário Furtado, a construção viária vai resolver o problema de mobilidade da cidade. “Hoje essa terceira saída é uma grande conquista para Águas Claras. Aqui é uma cidade ‘de interior’ verticalizada”, analisou.

Complexidade da obra

Devido a passagem do Córrego de Águas Claras, a obra contou com algumas complexidades para além da construção das duas pistas de pavimento e da ciclovia.

“Foi uma obra difícil de fazer. Inicialmente era uma ponte e a gente mudou o projeto para viabilizar respeitando o projeto ambiental”, explicou o presidente do DER.

Foi necessário construir uma galeria de águas pluviais por cima do córrego, com 114 módulos em três linhas com 38 metros de comprimento cada. Também foram feitas duas passagens de fauna, uma de cada lado da margem do rio, com tubulações de concreto de 1,5 metros de diâmetro, para evitar atropelamentos, e uma passagem aérea para travessia de primatas no local.

À frente da secretaria de Governo, o secretário José Humberto Pires de Araújo reforçou que a entrega é mais um legado desta gestão. “Isso aqui vai ficar na mente das pessoas e na história do Distrito Federal. É uma obra que tem a mão e a mente de um governo totalmente integrado”, frisou.

 

 

 

 

 

 

 

 

Mapa do site Dúvidas frequentes