25 de julho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
12/07/12 às 20h18 - Atualizado em 29/10/18 às 10h59

GDF lança campanha contra incêndios florestais

COMPARTILHAR

Com o slogan “Pequenas fogueiras podem causar grandes incêndios”, a campanha tem por objetivo informar e educar a população sobre o perigo decorrente da queima de lixo e podas vegetais no quintal de residências, que, ao fugir do controle, podem se transformar em grandes incêndios.

Para confecção das peças, que serão veiculadas nas principais rádios, TVs, jornais, além de outdoors, busdoors e em ações promocionais, foram utilizados dados alarmantes compilados pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos por meio da Gerência de Emergências e Riscos Ambientais. Segundo os dados, 99% dos incêndios registrados no DF são antrópicos, ou seja, fruto das ações humanas.

A campanha educativa é mais uma das ações executadas pelos diversos atores governamentais que trabalham para a redução e o combate dos focos de incêndio no DF e demonstra o empenho do GDF em preservar a fauna e a flora do cerrado, além de garantir a qualidade de vida da população.

Ao longo de todo o ano estão sendo desempenhadas diversas ações como: compra de equipamentos, capacitação profissional, planejamentos estratégicos, confecção de aceiros, retirada de entulhos e poda de vegetação, além de atividades de educação ambiental preventiva, objetivando conscientizar moradores que se localizam próximos às áreas sensíveis sobre a responsabilidade e a importância da prevenção.

A chegada da estação seca, caracterizada pela baixa umidade relativa do ar, as altas temperaturas e os longos períodos de estiagem ocasionam aumento do número de ocorrências. Os principais fatores climáticos envolvidos na dispersão dos focos são a temperatura, a umidade do ar e a intensidade e a direção dos ventos.

Além de destruir a vegetação nativa, um incêndio florestal também pode causar sérios prejuízos financeiros, matar animais selvagens e colocar em risco a vida de pessoas e de animais domésticos. Os incêndios ocasionam ainda graves impactos no clima e na qualidade de vida da população, ocasionando problemas de saúde como bronquite, dores de cabeça, náuseas, alergias, dentre outros.

Plano de Prevenção e Combate – Devido à elevada ocorrência de queimadas, o Governo do Distrito Federal instituiu, pelo Decreto n.º 17.431 de 11 de junho de 1996, o Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do Distrito Federal, que articula diversos órgãos com o objetivo de otimizar o emprego dos recursos disponíveis em ações de prevenção e combate a incêndios florestais em unidades de conservação.

O Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Distrito Federal (Ibram) integra o plano como órgão executor. Com isso, é responsável pela coordenação geral, articulação entre os integrantes para capacitação de pessoal, elaboração e implantação de planos de educação ambiental e gerenciamento dos quadros de registro de atividades e de ocorrências.

No decorrer destes 15 anos de existência, o plano já realizou atividades como formação de brigadas voluntárias das áreas prioritárias; atividades de educação ambiental em escolas; aquisição de equipamentos para as brigadas voluntárias; ações de combate a incêndios florestais com integração entre os órgãos governamentais e a sociedade civil.

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros